FRASES QUE NÃO DEVERIAM TER SIDO PRONUNCIADAS OU PUBLICADAS NA HISTÓRIA DA COMPUTAÇÃO.

download

“A mente crédula […] experimenta um grande prazer em acreditar em coisas estranhas, e quando mais estranhas forem, mais facilmente serão aceitas; mas nunca leva em consideração as coisas simples e plausíveis, pois todo mundo pode acreditar nelas.” (Samuel Butler, Characters (1612-1680))

INTRODUÇÃO

      Ao longo da história da evolução humana, o homem sempre procurou maneiras de simplificar sua vida e ter menos trabalho, economizando tempo para seu lazer, descanso ou o que lhe possa ser interessante. Mas na procura do melhor é comum que grandes inventores e personalidades cometam erros e pronunciem absurdos que se eternizam. Tais “pérolas” são descritas aqui e ensinam que muitas vezes é melhor avaliar varias vezes uma idéia antes de publicá-la.

É evidente que a curiosidade e a busca por conhecimento para uma vida melhor, aumento de cultura, ou por simples passatempo é da natureza humana e nesse processo a tentativa, o acerto e o erro são naturais. O que nos parece obvio hoje, no passado era mistério, fenômeno, ou mesmo uma impossibilidade. Lembramos que em um passado não tão distante acreditava-se que o Sol ou a Terra era o centro do Universo, que doenças eram ira dos deuses ou demônios, que para uma máquina mais pesada que o ar voar era impossível e mais uma infinidade de exemplos…

Nessa publicação do século I , alguém teve mais cautela e já alertou:

“Tempo virá em que uma pesquisa diligente e contínua esclarecerá aspectos que agora permanecem escondidos. O espaço de tempo de uma vida, mesmo se inteiramente devotada ao estudo do céu, não seria suficiente para investigar um objetivo tão vasto… Este conhecimento será conseguido somente através de gerações sucessivas. Tempo virá em que os nossos descendentes ficarão admirados de que não soubéssemos particularidades tão evidentes a eles… Muitas descobertas estão reservadas para os que virão, quando a lembrança de nós estará apagada. O nosso universo será um assunto sem importância, a menos que haja alguma coisa nele a ser investigada a cada geração… A natureza não revela seus mistérios de uma só vez.” Sêneca, século I. 

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

      Baseará quase que exclusivamente na Internet como fonte de pesquisa tomando o cuidado para não ajudar a propagar uma lenda;

      Quando cientistas, presidentes ou fundadores de grandes companhias tentam imitar os ciganos ou videntes se arriscando a fazer previsões futurísticas causam gargalhadas nas gerações seguintes, se não, vejamos alguns exemplos que marcaram a história e merecem destaque cômico até para sempre (redundância aqui, talvez dizer que “para sempre” também seja uma previsão idiota! ):

Muitas dessas previsões são recheadas de preconceitos influenciados pela época e cultura que quando combinado com imaginação infeliz. Dois exemplos que não tem nada a ver com tecnologia e informática, mas merecem serem listados:

“…mulheres sensíveis e responsáveis não gostariam de votar…”  Grover Cleveland, presidente norte-americano, 1905.

“… levará tanto anos para uma mulher virar Primeiro-Ministro que ela já não estaria viva.” Margareth Thatcher, 1969.

“Muito pouco ainda falta para ser inventado”.  Thomas Edison, 1891.

Famoso pela invenção da lâmpada elétrica, do fonógrafo, do projetor de imagens que foi o percussor do cinema, o também fundador da General Eletric que hoje fabrica desde lâmpadas até turbinas de avião fez esse infeliz anunciado. E como se não bastasse, passou os últimos anos de sua vida investindo numa máquina capaz de comunicar-se com os mortos!!?? (Epa… Olha nós aqui fazendo uma previsão de que uma máquina que nos ajude a bater longos papos com os mortos seja uma impossibilidade, e nos parece insano uma idéia espírita dessas, mas será que num futuro infinito, essa idéia continuará impossível?? Cautela… )

 “… o homem não voaria nos próximos 50 anos” Wilbur Wright, em 1901.

Os americanos fiéis ao seu merecido nacionalismo consideram os irmãos Wright como os pais da aviação e em paralelo a Santos Dumont, também no começo do século 20 fizeram máquinas mais pesadas que o ar e decolaram. A diferença entre essas máquinas era que uma era lançada com um mecanismo parecido com uma catapulta e a outra não. E como lemos acima, também contribuiu com as previsões infelizes.

Não há a menor indicação de que a energia nuclear será obtida. Isso significaria que o átomo teria que ser rompido no futuro”.  Albert Einstein, 1932.

Mesmo sendo um dos maiores cientistas da história, não se poupou de mandar a sua! Como é sabido, o átomo já foi rompido em outras partículas e essas já foram divididas também. Sem falar na energia atômica que é largamente utilizada e indispensável como fonte de energia

“Tudo que pode ser inventado já foi inventado”. Charles H. Duell, 1899.

Charles Duell foi oficial do escritório de patentes dos Estados Unidos. Era difícil imaginar que nos próximos 100 anos fosse exponencialmente o mais criativo e continuaremos sendo (Para! Olha nós aí de novo querendo prever o futuro). Destaque também a quem colocou num cargo desses alguém com uma visão limitada de um futuro próximo, mas a localização dessa informação já é mais complicada e dependeria de horas e mais horas de pesquisa sem que agregue muito ao nosso foco.

“Não há razão para que alguém queira ter um computador em casa”. Ken Olson, 1977.

Presidente e fundador da Digital Equipment Corp. (DEC), fabricante de computadores Mainframe, discutindo sobre os computadores pessoais e a possibilidade de que poderiam ou não se tornar um produto interessante ao comércio. Uma razão para termos um computador pessoal em casa é a possibilidade de em instantes conseguir informações de que algum fundador de empresa de Mainframes, como a respeitável Digital, seja capaz de pronunciar isso. Outra razão para termos essas inseparáveis máquinas é fazer o trabalho de MTA no conforto de nossa poltrona predileta Outros motivos?? Não me lembro agora…

 “Mas… para o que serve isso?” Robert Lloyd, 1968.

Esse executivo da IBM, discutindo sobre o micro-processador proferiu essa duvida irônica, pois sua empresa somente fazia Mainframes à base de circuitos integrados interligados, mas não condensados numa única pastilha. Em meados de 1980, a mesa IBM lançou o famosíssimo PC (Personal Computer) a base de micro-processador que transformou a vida de todos, inclusive a do tal Robert. Um carro de passeio hoje sai da fábrica com dezenas de micro-controladores, alguns possíveis até dentro dos pneus.

“Esta coisa de antitruste vai passar”. Bill Gates, data não disponível.

O fundador da Microsoft e presente na grande maioria dos micro-computadores, telefones celulares proferiu esse pensamento e como todos sabemos se beneficia dele. Mas é certo que no momento em que alguém conseguir fazer algo melhor e mais barato, daí a previsão de Gates vingará. A propósito, olhamos nós aí outra vez tentando prever que “Mas é certo que no momento em que alguém conseguir fazer algo melhor e mais barato!”.

“O potencial mercado de máquinas de cópia é de, no máximo, cinco mil (unidades)”.IBM,   1959.

A IBM para os eventuais fundadores da Xerox, dizendo que as fotocopiadoras não teriam um mercado tão grande que justificasse a sua produção, em 1959. Como sabemos, fotocopiadoras é popular até domesticamente. Todas as empresas de pequeno porte possuem uma, e se formos contar a popularização da digitalização de documentos principalmente por instituições financeiras, daí essa previsão da IBM é no mínimo ridícula.

“A transmissão de documentos por cabos de telefone é possível, em princípio, mas o aparato requerido é tão caro que nunca irá se tornar uma proposta prática”. Dennis Gabor, 1962.

Esse físico britânico e autor de Inventing the Future nos mostra que se temos alguma idéia interessante, mas impraticável por problemas de custo, deve ser reconsiderada. Cedo ou tarde existe a chance de geração de tecnologia que deixará acessível a produção daquele bem (nesse momento fomos cautelosos, “existe a chance” não é uma afirmação concreta).

 “A compra à distância, apesar de ser completamente possível, irá fracassar – porque a mulher gosta de sair de casa, segurar a mercadoria, gosta de estar apta a mudar a sua intenção”. Revista Time, 1966.

Hoje constatamos que a Time têm lá sua razão em achar que mulheres são seres arbitrários que mudam sua opinião no momento da compra como os homens também. Mas sabemos hoje que existem momentos que queremos em nossos lares pesquisar preços, buscar produtos exclusivos que só existem além da fronteira, não queremos contato direto com vendedores chatos e intrometidos, necessitamos de produtos de compra discreta, ou mesmo aproveitar promoções em sites que não necessitam pagar aluguéis e condomínios num shopping e nos garante preços melhores.

“Não há praticamente nenhuma chance dos satélites espaciais de comunicação serem usados para prover melhores serviços de telefone, telégrafo, televisão ou rádio dentro dos Estados Unidos”. T. Craven, 1961.

Membro do conselho da Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos, não esperava que 4 anos depois, sua previsão seria absurda. Depois de 40 anos da virada do século domesticamente podemos contatar diretamente os satélites para falar ao telefone, assistir a TV, ouvir radio não só dentro dos Estados Unidos, como no mundo todo. Alias a grande vantagem do satélite é a altura que está tornando o Planeta menor e retirando as linhas que dividem os países. O absurdo pronunciado pelo Sr Craven é tão grande que ele devia ter lembrado que satélites não funcionam dentro de um país e sim em órbita planetária.

“O telefone tem muitas desvantagens para ser considerado, seriamente, um meio de comunicação. O aparelho não tem valor para nós”. Memorando da Western Union, entre 1876 e 1878.

Essa alegação nos ensina que não devemos preconceituar tecnologias que existe a chance de futuramente ela ser indispensável como água e energia elétrica. É comum as pessoas ao receberem uma nova versão de equipamento ou de software criar barreiras para a utilização plena. Esqueça esses preconceitos sobre novidades e vamos testar antes de criticar. No inicio da internet era comum ver pessoas achar aquilo desnecessário. O telefone celular também fez que muita gente “queimar” a língua achando que nunca teria um equipamento desses. Agora como todos sabemos, quase ninguém vive sem ambos.

“Os americanos têm necessidade de telefones, mas nós não. Temos um monte de mensageiros”. Sir William Preece, 1878.

Engenheiro-chefe do Escritório Postal Britânico quando disse isso poderia ter ficado calado. É realmente uma das mais terríveis bobagens que alguém podia dizer! O telefone, muito além de mensagens, consegue deixar claro o sentimento instantâneo, existem mensagens que só podem ser faladas e conversadas e outras que só podem e devem ser escritas. Quase sempre não existe equivalência entre elas.

“A televisão não vai durar. É uma tempestade num copo d’água”. Mary Somerville, 1948.

Pioneira em radiodifusão educacional não teve discernimento para julgar que a imagem é muito mais importante que o som. A televisão sem duvida é o maior e mais bem sucedido meio de comunicação de todos os tempos. Infelizmente o conteúdo de sua programação é que a torna duvidosa. A manipulação da informação é que é preocupante, mas sem duvida Mary foi infeliz quando disse isso.

“A televisão não vai durar porque, logo, as pessoas irão ficar cansadas de olhar para uma caixa de madeira todas as noites”. Darryl Zanuck, 1946.

Darryl Zanuck foi produtor de cinema da 20th Century Fox, e estava coberto de razão, não é? Todo mundo fica cansado de ver TV, desliga e vai dormir. Muitas vezes colocamos no modo “sleep” e ela desliga sozinha.

“Quem diabos deseja ouvir os atores falando?” H. M. Warner, 1927.

O co-fundador da Warner Brothers mostra algo subliminar aqui, principalmente quando combinado com outras frases disparadas por outras personalidades. Será que quando ele tapou os olhos (nesse caso os ouvidos) para a nova tecnologia que estava engatinhando não era para proteger o seu império todo construído sem a capacidade de reproduzir sons? Ou ainda, imaginando o quando iria gastar para adequar todo seu aparato para a nova tendência? É provável que sim e ainda existe o preconceito à novidade discutido mais acima.

 “O rádio não tem futuro” Lord Kelvin, 1897.

É difícil imaginar por qual motivo alguém matemático e físico, propôs tal idéia. Talvez a 100 anos atrás não se percebia que todos os seres tentam comunicar-se de alguma forma. Até os animais mais primitivos tem esse interesse então por que nós humanos iríamos desperdiçar um meio de comunicação tão imediato como o rádio. Talvez, naquela época a qualidade de som era muito ruim e os preços muitos elevados para justificar alguém ter uma idéia profana dessas.

“A caixa de música sem fio não tem valor comercial imaginável. Quem pagaria para uma mensagem enviada para ninguém em particular?” Associados de David Sarnoff, respondendo a um pedido de investimento para o rádio,  1921.

David Sarnoff foi fundador da NBC (National Broadcasting Company), e fez carreira na RCA (Radio Corporation of America) devia estar muito mal assessorado como sabemos a propaganda em rádio é tão interessante e necessária as empresas como qualquer outra.

“O cavalo está aqui para ficar, mas o automóvel é apenas uma novidade, uma moda”. Presidente do banco de Michigan , 1903.

Essa afirmação foi feita alertando o advogado de Henry Ford para não investir na montadora. Isso recorre a outra interessante previsão: O clássico filme e livro do autor de ficção cientifica Aldous Huxley de 1932. Dentre varias visões do futuro em sua obra, uma delas é a idolatração a Henry Ford. E uma das cenas mais intrigantes é quando o principal protagonista da obra acha um radiador como se fosse um pedaço da cruz onde Cristo foi crucificado. É provável que Huxley teria pegado outro símbolo como um micro-computador, um software Windows Microsoft, ou algo mais moderno e presente, mas em 1932, como vemos muita gente previa um futuro diferente. Desconto a Huxley em comparação com o presidente do banco de Michigan, pois Huxley vendeu muito seu título e o que fez foi ficção.

 “Que o automóvel praticamente chegou ao seu limite é confirmado pelo fato de que, nos últimos anos, nenhum aprimoramento radical foi introduzido.”Revista Scientific American, 1909.

Repare que o título da obra é a Scientific American. Essa revista tem sido publicada mensalmente desde Agosto de 1845! É a revista mais antiga publicada nos Estados Unidos e nesses mais 150 anos não conteve a metralhadora giratória das teclas das antigas maquinas de escrever para publicar previsões infelizes. É uma pena que quem teve essa idéia em 1909 não pode ver os carros turbo, a hidrogênio, elétricos, freios ABS, GPS, e mais uma lista infindável de inovações presentes nessas incríveis maquinas que nos levam onde temos vontade. Esse editor na verdade não conheceu nem o espelho retrovisor que foi uma inovação nos autos anos mais tarde.

“Máquinas de voar mais pesadas do que o ar são impossíveis”. Lord Kelvin, 1895.

Ao leitor dessa obra, permita-me uma piada, jumentos também são mais pesados que o ar e são animais que não voam, mas a muitas aves também são mais pesadas que o ar e voam. Daí esse matemático, físico e presidente da Sociedade Real Britânica se fosse mais interessado saberia que em 28 de agosto de 1883 John Montgomery foi a primeira pessoa a fazer um vôo controlado numa maquina mais pesada que o ar, em um planador. Nos leva a concluir que pesquisa sobre o assunto nos poupa de muita vergonha.

“Aviões são brinquedos interessantes, mas não têm valor militar”. Marechal Ferdinand Foch, 1904.

Professor de estratégia da Ecole Superieure de Guerre, quando disse isso talvez estava certo e essa frase é possível que tenha sido retirada de um enorme contexto. Naquele momento aviões tinham autonomia mínima de vôo, segurança duvidosa, e tinham pouca possibilidade de carga. Lendo atentamente percebemos que ele não faz uma previsão e frase está no presente. Podemos aprender que as vezes falamos algo para o momento, mas que pode ser considerada para sempre.

 “Jamais será construído um avião grande”. Engenheiro da Boeing, 1933.

Após o primeiro vôo do modelo 247 da Boeing, que tinha motor duplo e transportava 10 pessoas o engenheiro fez essa proclamação. Avião revolucionário e admirável para época, o 247 marcou uma era na história da aviação. O 247 ficou esquecido, mas a frase empolgada com seu projeto do engenheiro está presente em inúmeros sites da internet e em varias línguas. Quando estamos motivados com nosso projeto, não podemos subestimar a concorrência ou a evolução. No mesmo momento é provável que muita gente esteja estudando e tentando fazer algo melhor. Fora do campo tecnológico é comum ver pais abobalhados com os filhos e tecer comentários achando que seus filhos são novos Pelés, Rembrants, Bethovens ou Gustavos Kuerten.

“Qualquer um familiarizado com o assunto vai reconhecer isso como um evidente fracasso” Henry Morton, 1880.

Henry Morton foi presidente do Instituto de Tecnologia Stevens, e disse isso sobre a lâmpada elétrica de Thomas Edison. Isso faz-nos imaginar se alguém para falar algo assim não pode ter sido motivado por inveja por não ter sido o primeiro a ser tão genial.

“Um foguete jamais será capaz de deixar a atmosfera da Terra”. Jornal New York Times, 1936.

Essa informação divulgada pelo importante jornal nos deixa uma nova lição, não confiar em especialistas que são amplamente consultados em jornais, telejornais, revistas, rádios e qualquer outro meio de informação. Muitas vezes essas instituições estão mais interessadas em deixar a informação atrativa para vender do que simplesmente transmitir conhecimento.

Outros pronunciamentos que merecem nossa atenção:

“640 KB serão suficientes para qualquer um no futuro”, Bill Gates , 1981.

Quinze anos depois da precisa visão de Gates, a versão mais nova do Windows XP ocupa mais de duas mil vezes a projeção do executivo.

“Como o ENIAC é equipado com 18 mil válvulas e pesa 30 toneladas, computadores no futuro podem ter apenas mil válvulas e pesar apenas 1,5 tonelada”. Revista Popular Mechanics,  1949.

“Eu viajei por todo este país e falei com as pessoas mais preparadas, e posso assegurar que o processamento de dados é um engodo que não vai durar até o final do ano”. O editor responsável pelos livros de economia na editora Prentice Hall, em 1957.

“Um homem foi preso em Nova York por tentar extorquir dinheiro de ignorantes e supersticiosos ao exibir um aparelho que, diz ele, transmitirá a voz humana por qualquer distância por um fio metálico para que seja ouvido por uma outra pessoa. Ele chama o instrumento de telefone. Pessoas bem informadas sabem que é impossível transmitir a voz humana por fios”. Notícia em um jornal de Nova York, em 1868.

“Enquanto a televisão pode ser mais agradável teoricamente e tecnicamente, comercialmente e financeiramente é uma impossibilidade, um desenvolvimento que ficaremos gastando pouco tempo sonhando”. Lee DeForest, pioneiro norte-americano do rádio e inventor da válvula a tubo, em 1926.

“Lee DeForest disse inúmeras vezes em muitos jornais e assumiu a responsabilidade de que seria possível um dia transmitir a voz humana pelo Atlântico muitos anos antes. Baseado nessa declarações absurdas e deliberadamente errôneas, o público foi levado a comprar ações da sua companhia…” Juiz norte-americano, culpando o inventor Lee DeForest por vender ações fraudulentas em carta para sua empresa Radio Telephone Company, em 1913.

“Por volta de 1985, as máquinas serão capazes de fazer qualquer trabalho que o homem pode fazer.” Herbert A. Simon, da Carnegie Mellon University, considerado o fundador da Inteligência Artificial, falando em 1965.

“A ‘carruagem sem cavalo’ normal é, no momento, uma luxuria para os ricos, e por causa do seu preço, provavelmente vai falhar no futuro. Com certeza, jamais se tornará tão comum como a bicicleta”. Literary Digest, em 1899.

“A energia atômica deve ser tão boa como os explosivos de hoje, mas é improvável que produza algo muito mais perigoso”. Winston Churchill, primeiro-ministro britânico, em 1939

OBJETIVO

       Comparar antigas profecias tecnológicas com a realidade é cômodo e óbvio. Mediante a uma frase dita no passado conseguir evidências que desminta será o objetivo da análise de dados. Não nos aprofundaremos em provar algo óbvio, como a luz elétrica que existe, faz parte do nosso mundo como beber água ou comer.

JUSTIFICATIVA

      Ganharmos cultura para que tenhamos discernimento no momento de fazer adivinhações evasivas para o que nos espera a frente do tempo. Algumas dicas aprendidas em estudar o assunto:

  •       Pesquisar muito sobre o assunto na qual desejamos prever. A quantidade de conhecimento ajuda eliminar erros grosseiros. Para isso devemos tentar colher o maior número de informações possíveis e de vários autores;
  •       Não deixarmos levar por impulso, ou por empolgação. Na pesquisa realizada constatou-se que varias previsões deram erradas por serem feitas no momento de festa onde os ânimos empolgados geram falhas de julgamento;
  •       Mantermos a ética e não julgarmos influenciados pelo próprio ego. Em outras palavras inveja. As grandes idéias estão soltas no ar e quando formos surpreendidos pela simplicidade de uma inovação feita pela concorrência, imaginarmos como pode ser ainda melhor, e não disparar uma crítica infundível que fatalmente será quebrada mais tarde;
  •       Tentar livrar-se de preconceitos tecnológicos. Antes de negar e criticar algo novo, teste e re-teste muitas vezes;
  •       Deixe o protecionismo com o que é seu de lado, ou seja, não é pelo fato de que você está propondo algo novo, é que esse novo é a melhor coisa do mundo e todo o mundo precisa do seu invento;
  •       Não desanime, nem deixe de acreditar em algo que no momento de seu lançamento tenha alto custo. A tendência é que novidades quando se popularizam diminuem significativamente o seu preço;
  •       Cautela. Quando for necessária sua previsão, temos que pensar várias vezes, com certeza diminuirá a chance de cometermos faltas e sermos motivos de piadas no futuro.

METODOLOGIA PARA ESSE ESTUDO

      A metodologia aplicada é a analítica, onde em posse de algumas afirmações do passado, analisaremos se o futuro serviu para a concretização ou transformou a afirmação numa piada, e com base nessas comparações gerarmos dicas para que não cometamos os mesmos erros na hora de prever avanços tecnológicos quando necessário;

Anúncios

6 comentários sobre “FRASES QUE NÃO DEVERIAM TER SIDO PRONUNCIADAS OU PUBLICADAS NA HISTÓRIA DA COMPUTAÇÃO.

  1. Interessante porque acabei aprendendo (em gotas) assuntos que não domino!
    Parece um mesclado de passado idióta com pinceladas de futuro com o pé no chão…
    Isso em maior volume, pode ser aproveitado como fonte de consulta e acabar em um livro!
    Pé na tábua Domingos, parabéns!

    Curtir

  2. Verdade Carlos, mas lendo essas frases, percebe-se que em alguns casos o autor estava a proteger seus interesses mesmo com chances de arrar. É como pagar para um advogado para defender o mais ediondo criminoso. Ele sabe que está sendo incoerente mas é seu ganha pão que esta em jogo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s